Josué Montello

Quarto ocupante da Cadeira nº 29, eleito em 4 de novembro de 1954, na sucessão de Cláudio de Sousa e recebido em 4 de junho de 1955 pelo Acadêmico Viriato Corrêa. Recebeu os Acadêmicos Cândido Mota Filho, Evaristo de Moraes Filho, José Sarney, José Guilherme Merquior, Evandro Lins e Silva e Roberto Marinho.

Josué de Souza Montello nasceu em São Luís do Maranhão em 21 de agosto de 1917 e faleceu no Rio de Janeiro em 15 de março de 2006. Filho de Antônio Bernardo Montello e Mância de Souza Montello.

Estudou em São Luís do Maranhão, concluindo o seu curso secundário em Belém do Pará, de onde se deslocou, em dezembro de 1936, para o Rio de Janeiro, e aí se especializou em Educação. Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Maranhão. 

Cargos exercidos

Inspetor Federal do Ensino Comercial, no Rio de Janeiro (1937);

Técnico de Educação (por concurso de provas e títulos), do Ministério da Educação (1938 a 1971);

Diretor Substituto do Ensino Comercial, do Ministério da Educação.

Técnico de Educação do DASP (Divisão de Aperfeiçoamento) (1942-1944);

Professor de Organização e Administração de Bibliotecas, dos Cursos de Administração do DASP (1943-1944);

Professor de Organização de Bibliotecas, do Curso Fundamental de Biblioteconomia da Biblioteca Nacional (1945-1947);

Professor de História da Literatura, do Curso de Biblioteconomia, da Biblioteca Nacional;

Coordenador dos Cursos da Biblioteca Nacional (1944);

Diretor dos Cursos da Biblioteca Nacional;

Diretor Geral da Biblioteca Nacional (nomeado em 1947);

Diretor do Serviço Nacional do Teatro, do Ministério da Educação;

Secretário Geral do Estado do Maranhão (1946 - na intervenção de Saturnino Belo);

Subchefe da Casa Civil da Presidência da República (fevereiro de 1956  a fevereiro de 1957);

Professor da Cadeira de Estudos Brasileiros, da Universidade Maior de São Marcos, em Lima, Peru (1953-1955);

Diretor Geral do Museu Histórico Nacional;

Diretor e fundador do Museu da República (Palácio do Catete);

Professor da Cadeira de Literatura Brasileira, da Universidade de Lisboa (1957);

Professor da Cadeira de História e Literatura Brasileira, da Universidade de Madri (1958);

Presidente do Conselho Federal de Cultura (1967-1968);

Conselheiro Cultural da Embaixada do Brasil em Paris (1969-1970);

Reitor da Universidade Federal do Maranhão;

Professor de Teoria da Literatura da Faculdade de Letras Pedro II (FAHUPE);

Embaixador do Brasil junto à UNESCO (1985 a 1989);

Presidente da Academia Brasileira de Letras (1994 a 1995).

 

Reformas administrativas realizadas

Reforma da estrutura técnica e administrativa da Biblioteca Nacional (1944);

Reforma dos Cursos da Biblioteca Nacional (1944);

Reforma do Ensino Primário e Normal no Estado do Maranhão (1946);

Organização e instalação do Museu da República (1960);

Organização e instalação do Conselho Federal de Cultura (1967-1968);

Organização e instalação do Museu Histórico e Artístico do Maranhão (1973);

Instalação da Diretoria da ABL no Centro Cultural do Brasil, compreendendo toda a sua administração (1994-1995);

Criação da Sala Machado de Assis na ABL, com as relíquias e originais do primeiro Presidente da Academia (1994-1995);

Criação da Sala dos Fundadores do Petit Trianon com a reposição do prédio primitivo (1994-1995);

Criação do jardim circular da ABL, com a modificação e transferência da estátua de Machado de Assis  (1994-1995);

Reforma do Salão Nobre, com a colocação do busto de Machado de Assis, obra de Rodolfo Berardinelli, e ainda a homenagem do busto de Austregésilo de Athayde no mesmo espaço nobre (1994-1995);

Construção da escada e aço, com 29 andares, no Palácio Austregésilo de Athayde (1994-1995);

Eliminação de dois prédios de alvenaria contíguos aos prédios a ABL, permitindo a construção do jardim circular da instituição (1994-1995);

Reforma geral do mausoléu da ABL, no cemitério São João Batista (1994-1995);

Construção do conjunto de vitrines para as exposições periódicas da ABL, no Centro Cultural do Brasil (1994-1995);

 

Colegiados a que pertenceu

Membro do Conselho de Serviço Social Rural;

Membro do Conselho da Sudene (como representante do Ministério da Educação);

Membro do Conselho do Patrimônio Histórico;

Membro da Comissão Diretora da Biblioteca do Exército (1961-1968);

Membro do Conselho Federal de  Educação (1962-1967);

Membro do Conselho Federal de Cultura (1967-1989);

Membro da Comissão Diretora da Casa José de Alencar (Universidade do Ceará);

Membro a Comissão Machado de Assis (para fixação dos textos básicos da literatura brasileira).

 

Instituições que fundou

Museu da República (Palácio do Catete);

Museu de História Literária (no Museu Histórico Nacional, com o acervo básico do arquivo contendo quase todos os originais manuscritos de José de Alencar e obtido por doação);

Museu Filatélico (no Museu Histórico Nacional, com uma doação feita pelo Banco de Boston);

Conselho Federal de Cultura (foi autor do Projeto e Decreto-Lei respectivo assinado pelo Presidente Castelo Branco e bem assim dos atos complementares que permitiram a implantação do colegiado);

Museu Histórico e Geográfico do Maranhão;

Museu Sacro do Maranhão;

Sede da Reitoria da Universidade do Maranhão, “Palácio Cristo Rei”, na praça Gonçalves Dias, São Luís, Maranhão;

Casa de Cultura Josué Montello, São Luís, Maranhão.

 

Outras funções exercidas

Presidente do Grupo de Trabalho incumbido de estudar a reforma e atualização das instituições culturais do País (Decreto de 10 de outubro de 1968, do Presidente Artur da Costa e Silva);

Membro do Grupo de Estudos da Indústria do Livro e dos Problemas do Escritor (GEILPE);

Representante do Ministério da Educação e Cultura na Exposição do Livro brasileiro em Buenos Aires (1961);

Membro da Comissão Examinadora das Monografias sobre Joaquim Nabuco (Portaria do Ministro da Educação, de 16 de agosto de 1949);

Membro da Banca Examinadora do Concurso de Provas e Títulos da Cadeira de Literatura de Literatura Brasileira, da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro;

Membro da Banca Examinadora do Concurso de Provas e Títulos para Catedrático de Literatura Espanhola da mesma Faculdade;

Membro da Comissão Julgadora do Concurso Benjamim Constant, do Clube Militar do Rio de Janeiro (1976);

Colaborador permanente do Jornal do Brasil ( a partir de 1954);

Diretor da Revista Brasileira, da Academia Brasileira de Letras;

Membro do Conselho Diretor da Editora José Olympio;

Membro do Conselho Diretor da Editora Nova Fronteira;

Presidente do Conselho Editorial da DIFEL (Difusora Européia do Livro);

Presidente da Câmara de Letras do Conselho Federal de Cultura;

Sócio benfeitor da Policlínica Geral do Rio de Janeiro;

Doação dos originais de O Mulato, de Aluízio de Azevedo, que há 52 anos estavam em seu poder (2001);

Inaugurada em São Luís a Avenida Josué Montello, homenagem da Universidade CEUMA (2001).

Membro da Comissão Organizadora das Comemorações do Primeiro Centenário de Nascimento do Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira., promovida pelo Ministério da Cultura (2001).

 

Instituições a que pertenceu

Membro efetivo da Academia Brasileira de Letras;

Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro;

Membro da Academia Maranhense de Letras;

Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão;

Sócio Fundador da Sociedade Brasileira de Amigos das Nações Unidas;

Membro da Academia Internacional da Cultura Portuguesa;

Membro da Sociedade de Geografia de Lisboa;

Membro da Academia das Ciências de Lisboa;

Membro da Academia Portuguesa de História;

Catedrático Honorário da Universidade Nacional Maior de São Marcos (Lima, Peru);

Membro da Association Internationale des Critiques Littéraires (Paris);

Irmão da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro;

Sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Brasília;

Sócio benemérito da União Brasileira de Escritores;

Membro honorário da Academia Pernambucana de Letras;

Sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina;

Membro da Academia Venezuelana de Letras;

Membro da Academia Espanhola de História;

Sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Uruguai.

 

Exposições de caráter cultural e cívico que organizou

Na Biblioteca Nacional (como Diretor da Instituição):

Exposição de Chateaubriand;

Exposição de Balzac.

No Museu Histórico Nacional (como Diretor da Instituição):

Exposição retrospectiva de Cinco Séculos da Marinha (agosto de 1960);

Exposição comemorativa da Semana de Caxias (agosto de 1961);

Exposição comemorativa do 1º Centenário da Batalha Naval do Riachuelo (junho de 1965);

Exposição comemorativa do IV Centenário do Rio de Janeiro (março de 1965);

Exposição comemorativa do Centenário da Batalha de Tuiuti - inaugurada  a 24 de maio de 1966, compreendendo o seguinte ciclo de conferências, presididas por Josué Montello: I - A Batalha de Tuiuti (em 24 de maio de 1966); II - Perfil de Osório (em 8 de junho de 1966); III -De Monte Caseros a Tuiuti;

Exposição comemorativa do Bicentenário da Casa do Trem;

Exposição da História do Brasil no Século XVIII;

Exposição sobre Arte do Retrato.

 

Prêmios recebidos

Prêmio “Sílvio Romero” de Crítica e História, da Academia Brasileira de Letras, 1945. Com a publicação de Histórias da vida literária;

Prêmio “Artur Azevedo” de Teatro, da Academia Brasileira de Letras, 1947. Com a publicação de Escola da saudade;

Prêmio “Coelho Neto” de Romance, da Academia Brasileira de Letras,  1953. Com a publicação de Labirinto de espelhos;

Prêmio “Paula Brito” de Romance, da Prefeitura do Distrito Federal, 1959. Com a publicação de A décima noite;

Prêmio “Fernando Chinaglia” de Romance, da União Brasileira de Escritores, 1965. Com a publicação de Os degraus do paraíso;

Prêmio “Luísa Cláudio Souza” de Romance, do PEN Clube do Brasil, 1967. Com a publicação de Os degraus do paraíso;

Prêmio “Intelectual do Ano”, da União Brasileira de Escritores  e da Folha de S. Paulo, 1971. Com a publicação de Cais da Sagração;

Prêmio de Romance da Fundação Cultural de Brasília, 1972. Com a publicação de Cais da Sagração;

Prêmio de Romance da Associação Paulista de Críticos de Arte, 1978. Com a publicação de Noite sobre Alcântara;

Prêmio Nacional de Romance do Instituto Nacional do Livro, 1979. Com a publicação de Noite sobre Alcântara;

Prêmio “Personagem Literária do Ano 1982”- da Câmara Brasileira do Livro, de São Paulo, pelo seu conjunto de obra;

Prêmio Brasília de Literatura para conjunto de obra “1982”, da Fundação Cultural do Distrito Federal, 1983, para conjunto de obras;

Grande Prêmio da Academia Francesa, 1987;

Prêmio São Sebastião de Cultura, da Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro, 1994;

Prêmio Ateneu Rotário do Rotary Clube de São Paulo, ao ser eleito “Personalidade do Ano” na área de Letras, 1997;

Prêmio Guimarães Rosa, de prosa, do Ministério da Cultura, 1998;

Prêmio Oliveira Martins, da União Brasileira de Escritores, pela publicação de Os inimigos de Machado de Assis, 2000;

Prêmio Ivan Lins (Ensaio) da Academia Carioca de Letras, pela obra O Juscelino Kubitschek das minhas recordações, 2000.

 

Medalhas e condecorações

Grande Oficial da Ordem Militar de Sant´Iago da Espada, de Portugal; Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique, de Portugal; Grande Oficial da Ordem do Mérito das Forças Armadas; Grã-Cruz  da Ordem Andrés Bello, da Venezuela; Grã-Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique, de Portugal; Grã-Cruz da Ordem do Mérito de Brasília; Oficial da Ordem Nacional da Legião de Honra da República Francesa; Oficial da Ordem do Mérito Militar; Oficial da Ordem Nacional do Mérito Educativo; Comendador da Ordem do Mérito Naval, do Brasil; Comendador da Ordem do Mérito Grão Pará; Comendador da Ordem do Congresso Nacional; Comendador da Ordem “Al Mérito por Servicios Distinguidos”, Peru; Medalha da Imperatriz Leopoldina do Instituto Histórico de São Paulo; Medalha Marechal Hermes, do Ministério da Justiça; Medalha do Sesquicentenário do Arquivo do Exército; Medalha Comemorativa do Bicentenário da Casa do Trem, do Ministério da Guerra; Medalha Comemorativa da inauguração do Museu de Artilharia, do Ministério da Guerra; Medalha Anchieta, do Distrito Federal; Medalha Companheiros da Aliança, do Ministério das Relações Exteriores; Medalha Timbira, do Estado do Maranhão; Diploma Honoris Causa do Instituto de Geografia e História Militar, do Clube Militar e da Biblioteca do Exército; Diploma de Reconhecimento da Escola Superior de Guerra; Diploma do Armorial Universal, de Bruxelas, conferindo-lhe o título de “Président d`honneur pour le Brésil”; Grande Oficial da Ordem do Mérito das Forças Armadas; Grã-Cruz da Ordem do Mérito de Brasília; Medalha de ouro comemorativa dos 40 anos da Universidade Federal do Ceará; Grã-Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique; Ordem do Mérito do Livro, da Fundação Biblioteca Nacional; Medalha do Padre Antônio Vieira, da União Brasileira de Escritores, 1997; Diploma de Reconhecimento do Rotary Clube do Rio de Janeiro, em homenagem aos seus 80 anos, 1997; Inaugurada em São Luís do Maranhão a primeira “Biblioteca Farol de Educação Josué Montello”, no Governo Roseana Sarney, 1997; Medalha comemorativa dos 75 anos do Museu Histórico Nacional, de que foi Diretor de 1960 a 1967; Ordem do Mérito Cultural da França, 1999; Medalha Comemorativa dos 40 anos da fundação do Museu da República, de que foi o organizador e primeiro Diretor, 2000; Medalha  do Mérito Cultural Acadêmico Austregésilo de Athayde da Academia de Letras e Artes  de Paranapuã, 2002. 

 

 

 

Fonte: http://www.academia.org.br/abl/

Visitado 881 vezes

Idiomas

ptenfrdeites

Busca