Lauro Müller

Terceiro ocupante da Cadeira 34, eleito em 14 de setembro de 1912, na sucessão do Barão do Rio Branco e recebido pelo Acadêmico Afonso Celso em 16 de agosto de 1917. Recebeu o Acadêmico Hélio Lobo. Lauro Müller (L. Severiano M.), engenheiro militar, político e diplomata, nasceu em Itajaí, SC, em 8 de novembro de 1863, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 30 de julho de 1926.

Apaixonado discípulo de Benjamin Constant, ingressou na carreira militar na província natal. Era Doutor em Leis, título concedido pela Universidade de Harvard, dos Estados Unidos. A sua carreira pública começou em 1889, quando recebeu de Deodoro da Fonseca a incumbência de organizar a província transformada em Estado de Santa Catarina. Foi depois deputado federal, senador, ministro de Estado, empreendendo grandes reformas na pasta da Indústria, Viação e Obras Públicas, ao tempo da presidência Rodrigues Alves. Tornou-se popular por suas importantes obras, como a construção da Avenida Central, hoje Avenida Rio Branco, e os melhoramentos do porto do Rio de Janeiro.

Quando, em 1912, faleceu o Barão do Rio Branco, coube a Lauro Müller a honra de sucedê-lo no Ministério das Relações Exteriores, no qual se manteve até 1914, para passá-lo então às mãos de Nilo Peçanha, nos agitados dias da Primeira Guerra Mundial. O maior empenho de Lauro Müller na pasta das Relações Exteriores consistiu em alicerçar a aproximação definitiva do Brasil com as nações da América, por meio da Missão Campos Sales a Buenos Aires, de visita aos Estados Unidos e ao Rio da Prata, para assinar, com as repúblicas denominadas do ABC, um tratado de arbitragem ampla.

 

Fonte: http://www.academia.org.br/abl/

 

 

Visitado 708 vezes

Galeria de Imagens

Idiomas

ptenfrdeites

Busca